Adeus, 2022!

Se eu falar que não tive vontade de voltar a escrever INCONTÁVEIS vezes, estaria mentindo num nível absurdo. Quem convive comigo, teve a chance de escutar eu falar “quero voltar a escrever para o blog”, pelo menos uma vez – no dia. Infelizmente isso não aconteceu, por N motivos, que talvez estejam mais abaixo, ou não.

Porém, como dizem: antes tarde, do que nunca.

O ano de 2022 foi bem tenso e intenso, começando com uns problemas psicológicos, desenvolvidos por conta de 1 assalto no ônibus, em que eu estava, e outro quase assalto, e terminando com uma meta de consultas psicológicas para o próximo ano (para quem se preocupou, podem ficar tranquilos, pois, pela graça de Deus, não levaram nada meu). Isso só fez com que eu parasse de mexer no celular no ônibus e no terminal, mas também tivesse crise de choros aleatórias e descidas fora do meu ponto de destino.

Outro fato curioso foi eu ter passado por 3 empresas diferentes (meu currículo que lute), comecei o ano trabalhando em uma, quando já estava quase completando um ano, saí de lá para outra e, após poucos meses, entrei na que estou atualmente. Sendo bem sincera? Sou extremamente grata por essas mudanças e por estar onde estou agora – mesmo com todas as dores de cabeça. Graças a essas mudanças, pude perceber as pessoas realmente especiais, que valem a pena levar para vida, fora do ambiente de trabalho, e pude conhecer novas pessoas também, que vão ter que me abrigar em suas casas quando for as ver, por morarem muito longe.

No meio da doideira de mudar de trabalho, recebi uma das notícias mais impactantes do ano: fui aprovada, mais uma vez, na UFES. Em 2018, quando me mudei para Portugal, uma das coisas que deixei para trás, foi a minha matrícula na UFES, não pensei que teria a chance de voltar a estudar lá, por não me achar capaz o suficiente de ingressar mais uma vez na universidade, após tantos anos sem estudar. Entretanto, nada acontece como a gente pensa, então fiz o ENEM em 2021 e aguardei… foi quando, através da minha nota, consegui ingressar num novo curso, numa área bem diferente da que cursava, mas que tem meu coração. Tem sido bem desafiador? Com certeza, porém sempre que penso em desistir, penso em todas as vezes que quis voltar a estudar, mas não pude. Então, como diria a Brilhante Victoria: Here I’m, once again.

Algo que também me deixou muito feliz, foi o fato de, graças as mudanças de emprego, ter os finais de semana livre. Esse fato, ligado à mudança de igreja (sim, o bom filho a casa retornou, voltei para a igreja que pertenci há anos), permitiram que eu pudesse voltar ao grupo de louvor da igreja. Quem me conhece, sabe que vivo cantando, desde músicas de comercial, até tentativas falhas de músicas clássicas, então poder cantar e louvar ao Senhor, num lugar que é tão querido por mim, foi algo que me deixou bem feliz. Para ajudar, tenho a oportunidade de cantar, enquanto meu consagrado (que decidiu ir para a mesma igreja) toca bateria.

Esse foi um ano em que consegui sair do meu bloqueio literário e li mais de 10 livros. Sei que parece pouco, mas eu não conseguia ler NADA, conseguir ler essa quantidade foi uma conquista para mim – principalmente que esse número se deve às minhas leituras no ônibus, por causa do trauma psicológico e tals.

Um dos melhores momentos do ano, foi o fato de ter recebido em minha vida, duas novas preciosidades, Escócia e Pillow, que, mesmo não saindo da mesma mãezinha, nasceram no mesmo dia, e enchem nossas vidas de felicidade – e pêlos – sem medida! A chance de trabalhar de forma remota, e poder dar amor e carinho para os 4 bebês, é uma das maiores vantagens que Deus podia me proporcionar esse ano.

Como nada na minha vida é muito normal e, todo ano, algo surpreendente tem que acontecer, sigo no status de “moça para casar” (quem não pegou a referência, pode clicar aqui), mas agora a coisa está MUITO mais séria, porque não estou apenas para casar, como estou para casar em breve – Deus, se for da Sua vontade. Sim, no último dia útil do ano, aos 45 do segundo tempo, fui pedida em casamento e estou noiva. A crise de riso veio, mais uma vez, porém a resposta novamente foi sim! Esse será um relato para futuros posts? se alguém quiser saber, talvez sim.

Apesar dos dias terem sido bem corridos, tive a oportunidade de passar bons momentos com as pessoas que eu amo, seja pessoalmente ou através de uma chamada de vídeo, ou ligação (“gastar” meu tempo com vocês, é sempre muito valioso).

Lembrei o quanto gosto de viajar e tive essa vontade suprida no mês de dezembro, numa viagem da empresa, que permitiu eu conhecer mais um estado do Brasil. Na doideira desse ano, tive chance de colocar o inglês a prova, me deliciar com meus doramas, comer muitas comidas gostosas e aproveitar bastante a minha companhia. Passei vários momentos  com meus amigos, isso envolveu ir ao shopping e comer mais do que pensávamos ser possível, dar uma bela volta na praia, formar uma do grupo, aconselhar uma pessoa teimosa e cantar num carro até chegar no terminal. Minha família e meu amor também entraram nessa, desde momentos largados no sofá, até pequenos encontros no terminal. Qualquer momento se torna especial, quando as pessoas são especiais! 

E é isso, sigo com as promessas e com a vontade de voltar a escrever aqui, meu caderno de textos segue cheio e meu amor por esse espaço também.

Desejo a todos um feliz ano novo, que tudo corra da melhor forma possível, com muitos momentos felizes e de aprendizado. Fiquem com Deus, beijinhos e até ano que vem 🤣❤️

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *