Um lugar bonito, atrás de um shopping não tão bonito

Sempre amei lugares bonitos, sempre amei (mais ainda) o fato de só aproveitar esses lugares, a leveza e beleza que eles me traziam, me atentando à todos os detalhes possíveis, gravando todos eles em minha mente e coração.

Certo dia saí para aproveitar o tempo ao lado de uma pessoa especial, só ficamos sentados, olhando o céu, ele estava muito lindo, com vários tons de rosa e umas nuvens perdidas no céu. Para acompanhar, batia uma leve brisa, enquanto as ondas batiam nas pedras. Foi uma das coisas mais lindas e puras que já vivi. O vento balançando em meu cabelo, a conversa sendo jogada fora, um dia se findando para outro começar, me traziam um sentimento de agradecimento profundo.

E isso fez com que me lembrasse que há um tempo comecei a me preocupar quanto a isso, pois via as pessoas indo aos mesmos lugares que eu e tendo várias lembranças desses lugares, lembranças essas feitas através de fotos ou vídeos, enquanto eu, ah… eu estava apenas com as belas imagens em minha mente e coração.

Já me peguei triste ao ver que não tinha como provar que já estive lá, que tinha uma memória apenas comigo e mais ninguém sabia disso.

Mas hoje eu penso diferente, vale mais uma memória em minha mente e coração, que levarei para o resto da vida, do que uma galeria cheia de fotos, de momentos que nem se quer me recordo de como aconteceram, que só servem pra colaborar para um feed bonito em alguma rede social.

Aprendi, com uma pessoa querida, que vale mais um celular desligado, em cima de uma mesa qualquer ou jogado dentro da mochila, aproveitando um momento especial, ao lado de pessoas especiais, do que estar com ele em mãos durante 24h, registrando todos os momentos vividos, mas esquecendo de fazer o principal: vivê-los.